sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Sobre o Carnaval

Sem querer ofender ninguém, até porque acredito que implica muito trabalho, cabe-me deixar algumas palavras sobre o Carnaval no concelho - em Nelas e em Canas de Senhorim. A crise que vivemos poderá ter exposto o que já se adivinhava: por um lado, foi notória a crise de ideias, sei que são sempre os mesmos, o que cansa e impede o surgimento de novas propostas, o que resulta numa evidente falta de originalidade. Basta lembrar que os 4 corsos (ou bairros) do concelho apresentaram figurantes mascarados de índios. Por outro lado, organizar dois carnavais num concelho tão pequeno como o nosso é esbanjar recursos, financeiros e humanos. Soa a uma tentativa de perpetuar a tradição através de rivalidades latentes, parece que a tradição apenas só sobrevive porque se alimenta dessas rivalidades, o mesmo é dizer que os carnavais do concelho se mantêm porque se retro-alimentam na querela Nelas-Canas, sem a qual poderiam não existir ou não teriam expressão.
Penso que seria de equacionar a possibilidade de se organizar apenas um carnaval no concelho, com dois desfiles e quatro corsos, repartindo Nelas e Canas de Senhorim os desfiles. Não adianta usar argumentos bairristas, pois todos sabemos que assim terá uma oportunidade de se afirmar e será uma clara manifestação de unidade, assumida sem deixar os elementos que caracterizam cada localidade ou cada bairro.
Se os argumentos apresentados forem insuficientes basta adicionar a fraca adesão do público, muito aquém de anos anteriores. Sem esquecer a própria forma como os figurantes encararam a sua participação, por vezes com imagens de desinteresse, pelo menos a julgar pela autêntica festa da cerveja que tivemos oportunidade de presenciar (teriam idade para tal?!).
Estas são, entre muitas outras, algumas questões que suscitou o Carnaval. Como digo, não quero com elas ofender ninguém, embora saiba que possam gerar polémica, se as partilho é porque estou convicto que não deveremos recusar uma oportunidade para chegar mais longe.

10 comentários:

Cingab disse...

O José, com respeito lhe digo que considerar que o Carnaval de Canas se alimenta da querela Canas-asnelas é desconhecer por completo a história... Já agora... sabe como e porque surgiu o Carnaval deAsnelas?

José disse...

Caro Cingab não coloquei em causa a história de nenhum dos carnavais, apenas afirmei ser necessário pensar em novos modelos para a perpetuar acreditando que o antagonismo não é apenas sinónimo de coisas más, contribui igualmente para o reforço da identidade de cada um dos carnavais. Todavia creio que se deveria pensar se deveremos ter dois carnavais pequenos ou um grande canaval conjunto, mas é apenas uma tese.

Anónimo disse...

Esta é a ideia mais descabida e irreflectida que ouvi sobre o Carnaval. Não duvido que em locais de tradição recente, se faltar o dinheiro, tal possa a acontecer. Mas em Canas ? Conhecer o nosso carnaval não é só passar por lá e tirar uma fotografias.

José disse...

Com ou sem fotografias marquei presença em ambos os carnavais o número suficiente de vezes para reconhecer a sua identidade, não é isso que está em causa, é uma questão de escala e de recursos, o que poderá reforçar essa identidade. Creio que tentar não custa...

Cingab disse...

@José,
deixe-se disso!... Utopias não!...
Já Canas de Senhorim organizar o Carnaval e asnelas os Santos populares é algo que alguém de asnelas me dizia há muitos anos e não deixa de ter razão

Alex disse...

Caro José

O Carnaval em Canas alimenta-se da alegria das suas gentes e da querela Paço - Rossio.

Fraca adesão é coisa que não aconteceu mas que não nos preocupa, visto o nosso Entrudo ser feito para nós e não para mostrar a ninguém. Claro que gostamos de ver gente de fora a admirar, mas não é esse o objectivo.

Ter ilusões de juntar Carnavais diferentes parece-me quase ridiculo. A vossa tradição não existe e vive, esse sim, da querela Nelas - Canas.

Como diz o Cingab façamos assim. Aposte a CM no Carnaval de Canas e as pessoas de Nelas serão bem vindas. Juntem-se a um dos bairros e divirtam-se num Carnaval beirão, sem brasileiradas bacocas. Eu serei dos primeiros a frequentar o S. João em Nelas. E ainda pago uns copos a meia dúzia de amigos que aí tenho.

Cumprimentos

José disse...

Caro Alex
como afirmei apenas apresentei uma tese sobre o Carnaval no concelho de Nelas como um todo, sem particularizar, até porque não coloquei em causa nem o de Canas de Senhorim, nem o de Nelas. Tudo veio a propósito do que se viu em ambos os desfiles, pouca gente a "ver" e um manifesto desinteresse por parte dos participantes, com coreografias inteiras feitas de cerveja, enfim, imagens mesmo muito feias que omiti por envergonharem a região. Atenção que não digo se foi em Nelas ou em Canas que tal ocorreu. De qualquer modo não deveriam temer organização de pelo menos um Carnaval conjunto, pois até os casamentos se dissolvem...

P.S. Já agora, apesar de não ter sido eu a lançar a votação pode ser um indicador do que pensam os internautas sobre a questão.

Alex disse...

Caro José

Sendo isto uma troca de ideias, continuo a achar que a sua tese enferma de um problema. Analisa à luz do Carnaval de Nelas. Como lhe digo em Canas os forasteiro que nos visitam (e não participam) são coisas secundárias. O Carnaval nasce de uma necessidade interna, nuclear. Há gente que gosta desta autenticidade e visita-nos, mas não para elas que o Entrudo é feito.

Misturar o dois Carnavais é como misturar água com azeite. Não vão por aí. Mas essa defesa não me espanta. Não acredite é que alguém aqui vá nessa conversa. A proposta é reveladora, perdoe-me a sinceridade, de uma ignorância cultural gritante. Cada um com a sua festa. Admira-me como é que ainda não tentaram fazer uma feira medieval.

Quanto às coreografias que viu lembro-lhe a velha máxima "É Carnaval ninguém leva a mal". É nesta altura também que expiamos muitos dos nossos pecados. Desde que ninguém interfira com a sua liberdade respeite a dos outros (pelo menos no Carnaval).

Cumprimentos

José disse...

Caro Alex
devo acrescentar um ou outro ponto. Em 1.º lugar o facto de não ser da vila de Nelas, por outro lado, tal como referido várias vezes neste blog, creio que todos reconhecemos que os habitantes de Nelas são avessos à quase totalidade das formas de intervenção pública. Quanto a Canas mais de 4 décadas por essas bandas deram para conhecer um pouco, embora actualmente mais afastado, mas isso tb de Nelas. Termino como afirmando que é no "confronto" directo que o que é bom dá nas vistas, seja como for a esfera da decisão como sabemos é outra, aqui só se apresentam argumentos e contra-argumentos.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

lol.Pouca gente a ver? Tem a certeza que viu o mesmo carnaval que nós? O Carnaval de canas é vivido pela historia. nelas é uma réplica ao carnaval brasileiro. Misturar quando nao tem nada haver? Nao! que se juntem a nos se quiseres. E so quem participa é que sente o que realmente existe